Jiu-Jitsu é a arte de dizer não!

03112012 | « voltar

 Jiu-Jitsu é a arte de dizer não!

Para ser tornar um praticante de Jiu-Jitsu saudável e que dê orgulho ao seu professor, é preciso primeiro dizer “sim!”, e aceitar o convite para dar um primeiro treino de Jiu-Jitsu. Depois, é saber dizer não, e deixar diversas coisas desnecessárias de lado em sua vida.

A cada não, é uma dezena de quilos que se perde, e uma dose de autoconfiança que se ganha.

Em reportagem recente, a sua revista de Jiu-Jitsu favorita listou 42 coisas que não combinam com a vida de um praticante de Jiu-Jitsu esclarecido. Selecionamos apenas cinco a seguir.

Perdeu este artigo? Assine GRACIEMAG hoje mesmo, aqui! E, no email sac@graciemag.com, pergunte como você pode completar sua coleção.

1. Diga não aos atalhos fáceis!

Gás, força, habilidade – tudo vem com os dias na academia. Não seja inimigo do tempo, e não apele para substâncias para acelerar seu desempenho. Mais à frente isso pode arruinar seu corpo.

2. Diga não à arrogância

Nunca subestime ninguém na academia. O coroa alongando no canto do dojô pode ser um mestre de quem você nunca ouviu falar. O sardento caladão pode muito bem ter as armas capazes de te dar um belo amasso. Não seja rude nem entre para treinar mole com ninguém. Trace um objetivo, busque melhorar algum aspecto e treine a sério.

3. Diga não à omissão

Não esconda o Jiu-Jitsu dos seus amigos. Chame-os para treinar! Você pode descobrir que seu irmão ou parceiro é um ótimo treino para você. Pergunte aos irmãos Nogueira, aos Mendes…

4. Diga não à inveja

Não inveje a trajetória ou o jogo de alguém. É quase impossível repetir a história de seu professor ou colega. Não fique chateado por não estar no mesmo nível de um amigo que treina junto com você. Quando você menos esperar, você terá evoluído, e também será um modelo para seus companheiros.

5. Diga não ao heroísmo bobo

Não há espaço para heroísmo dentro da academia de Jiu-Jitsu. Se o golpe encaixou, desista sem titubear. O trauma que você pode causar nos amigos, no professor e em si mesmo não vale a pena. Sem falar nas semanas de molho que você vai ficar sem treinar, para curar a lesão.

Foto: Caio Terra “afasta” o inimigo imaginário com o quadril, movimento vital de defesa no Jiu-Jitsu. Foto: Terence Bordon/GRACIEMAG